quarta-feira, 22 de setembro de 2010

O Acervo Musical da Banda PMPI

  • É crescente o interesse pela recuperação dos arquivos musicais manuscritos no Brasil, principalmente com relação às bandas de músicas. Sem dúvida isto é um importante passo na preservação da memória musical nacional, por permitir a redescoberta e a difusão de obras inéditas de compositores locais das diversas regiões do nosso país.

O post atual traz a tona uma preocupação com a presevação dos arquivos de partituras das bandas de músicas e como estas tratam sua documentação musical no dia a dia. Os arquivos das bandas de musica centenarias brasileiras são rico em material, e pouco explorado em termos de pesquisa, e que pode ser considerada uma área de extrema importância para tornar a música brasileira conhecida, disponível, divulgada, executada e, enfim, viva.

  • No Piauí uma das bandas de música centenária que tem em seus arquivos uma quantidade significativa de obras que vem aos pouco se perdendo, vítima do anonimato, é a banda da PMPI. São manuscritos se deteriorando pelo tempo, pela umidade, pelos fungos, pelo apagamento das tintas utilizadas na escrita, pelo manuseio.

O arquivo musical da banda de música PMPI é um riquíssimo acervo, a padecer pela falta de investimentos em pesquisa, restaurações, revisões e, principalmente, edições, execuções públicas, registros fonográficos e, claro, pela falta de um projeto cultural eficiente para descobrir este patrimônio, levando estas obras ao grande público.

  • Gostaria de salientar que temos feito dentro do Arquivo da Banda PMPI um trabalho de “garimpo” dessas partituras, já há um relativo período de tempo, e temos descoberto muitos compositores e obras inéditas desconhecidas do público piauiense. Desta pesquisa podemos destacar: O resgate das obras do compositor Sebastião Simplicio; O resgate da música mais antiga escrita por um compositor piauiense [marcha São José das flores de Cornélio Pimheiro]; e Catalogação de todo o acervo de obras dos compositores piauiense do sec. XX.

Nenhum comentário:

Postar um comentário