domingo, 30 de janeiro de 2011

O Negro e a Música das Americas


  • Na viagem forçada para a América, o negro levou toda a sua herança cultural. Nos amplos espaços da América, o grito do negro, mais do que uma manifestação musical, era um meio de reconhecimento da própria identidade africana e de clamor por liberdade.
Esse grito primal, inicialmente em estado bruto, ia se modificando e assumindo novas formas à medida que o negro absorvia a cultura americana. E o mesmo acontecia com a música que eles trouxeram da África, a partir do momento em que entrava em choque com a música de tradição européia.

A musica sempre esteve presente nas aspirações e lutas por liberdade dos negros desde que nas Américas, aportaram trazidos como escravos. Deles foi roubado, sua língua, família, e grande parte de sua cultura; ainda assim seus opressores não puderam remover a sua música, que era a expressão da alma deste povo. Ano após ano esses escravos e seus descendentes aceitaram o cristianismo que era a religião de seus senhores. A Musica era parte integrante do dia a dia do africano e era usada nos trabalhos, nas caçadas, nas festas, enfim toda a atividade era pontuada com musica.

  • Entre os povos da África, a música era uma espécie de argamassa social. O africano não conhece originalmente a música como uma manifestação isolada de arte e sempre a usou com uma função estritamente comunitária. Na África, música e linguagem nunca foram divididas rigidamente, como no Ocidente.

Na América, como na África, a música ritmava os trabalhos dos negros na lavoura. Muitas canções de trabalho (chamadas work-songs) obedeciam ao esquema de chamada -e-resposta. Esse esquema de chamada-e-resposta, ou solo-e-coro, também é encontrado na música religiosa afro-americana. Entre suas diversas manifestações, figura a música gospel (espécie de fusão dos hinos protestantes com as músicas de trabalho), em que o pregador sola e o restante da igreja responde. Os negros transformaram esses hinos de origem européia em verdadeiros cânti cos sincopados, ao ritmo vivo de palmas e batidas de pés.

O poder desta musica da Diáspora africana aparece como elemento condutor da grande herança ancestral e cultural da Mãe África. Por onde passou esta musica influenciou e deu novas formas às que já existia, quer seja na América do sul especialmente o Brasil, na América central e na América do Norte especialmente os Estados unidos, onde pela forte cultura de massa essa influencia se espalhou por todo mundo, Na forma primeiramente do Negro Spirituals e dos demais estilos dele derivados, como o Blues, Ragtime, Jazz, Gospel ... chegando até nossos dias com muito do que se ouve na mídia.

  • Negro Spiritual ou Plantations Songs

Do contato com as histórias bíblicas nasceu o Negro Spiritual ou Plantations Songs, um poderoso gênero que se tornou um dos elementos mais significativos da música americana. Nestas melodias simples eles expressaram o modo como eram tratados; suas labutas, suas dores, a brutalidade e a opressão a que eram submetidos, mas também expressava a sua fé, esperança e alegria. Eles estavam proibidos de falar ou de fazer instrumentos musicais como o tambor que usavam freqüentemente na África para se comunicarem, mas lhes era permitido cantar o que quer que sentissem. Este cantar, transformou-se numa valioso instrumento de expressão e numa forma de atenuar a cruel e brutal vida de escravo.

Originalmente a música negra era somente voltada para os negros, e não só foi ignorada mas, freqüentemente foi menosprezada pela comunidade branca. O movimento demográfico oriundo do Boom econômico que seguiu a Reconstrução após a guerra civil na america do norte ajudou a exportar músicos negros e sua música para cidades brancas, e começou pondo abaixo algumas barreiras culturais que existia entre as duas comunidades. Sem dúvida, os elementos soaram como ultrajante aos ouvidos dos brancos, suas letras eram obscenas e os movimentos eram indecentes. Sexo era o tema dominante nas baladas negras, e era sempre explicitada nas letras. Os cantores negros gostavam de gabar de seus desempenhos sexuais.

  • O tumulto causado pela música refletiu no aparecimento de intelectuais negros que desafiaram os estereótipos criados pela cultura branca. Ao término da guerra civil, o maior problema enfrentado pelo E.U.A. era como lidar com os milhões de negros sem educação e sem qualificação que ainda eram dependentes dos brancos para se sustentarem.

Hoje, a música negra (também conhecida como música afro-brasileira no Brasil e música afro-americana nos Estados Unidos) é um termo dado a todo um grupo de gêneros musicais que emergiram ou foram influenciados pela cultura de descendentes africanos em países colonizados por um sistema agrícola baseado na utilização de mão-de-obra escrava (plantation).

  • As músicas tribais africanas trazidas pelos escravos se mesclaram com outros ritmos europeus, formando novos gêneros musicais.

No Brasil

  • O Lundu

  • O Maxixe

  • O Samba e suas diversas variações, são considerado a maior contribuição dos negros para a música afro-brasileira.
  • O Coco
  • O Carimbó

Na America do Norte

  • O jazz (resultado da fusão da polirritimia africana com os ritmos de origem européia) é a grande contribuição dos negros para a música norte americana.

Um comentário: