quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

O Mestre de Banda

Mestre: do latim magister, magistri: o que comanda, dirige, conduz.

  • O mestre é um modelo (tem que ser) de músico e amigo, animador cultural e cidadão engajado. Sua vida é um exemplo para os mais jovens. E o exemplo é sua principal ferramenta como educador. (Higino, 2005)

No ensino, para que isso aconteça precisamos de três elementos: um agente, uma mensagem e um educando. No caso da banda de música estes serão: o Mestre, o ensino da música e o aluno. (Aranha,2006)

Os mestres de banda brasileiros, ao longo de mais de um século de intensa vivência musical, além de regentes, têm exercido também a função de professores, lecionando música para estudantes jovens e adultos. Desenvolveram uma metodologia de ensino-aprendizagem organizada para que o desempenho favoreça um preparo rápido para o aluno ingressar no grupo.
  • Elaboraram um programa misto de ensino da música instrumental que possui diferentes técnicas de ensino, onde não há seriação do processo didático. Este programa possibilita a adequação do treinamento à realidade de cada aprendiz, respeitando seu desenvolvimento sem imposição de um modelo pedagógico padronizado para todos os alunos.

Grande parte deste aprendizado também se dá através do relacionamento com os músicos mais antigos, tanto na fase de estudante como após o ingresso como membro oficial da banda. Insiste na convivência diária de seus integrantes com a rotina musical da entidade. Isso funciona como meio de ampliação, continuidade e aprimoramento de sua formação musical, além de influir diretamente na renovação do contingente de cada corporação.

Na banda de música, o que jamais se perde de vista é o fazer musical. O estudante entra na escola sabendo que é pra tocar na banda. Assim, a banda tem seu próprio modelo de educação musical.

  • As bandas de música são portadoras de uma arte profunda, fruto da dedicação dos mestres e da compreensão de uma comunidade que combina o estado de espiírito contemporâneo com sua memória afetiva, o que resulta em um trabalho magnífico e, mantendo ainda uma forma original, acolhe uma preciosa legião de músicos profissionais que nenhuma outra corrente ou instituição cultural é capaz de acolher. Falta-nos ainda um aprofundamento sobre a história da música brasileira passando pelas bandas que trouxeram toda a massa da cultura popular para dentro da música pré-erudita brasileira.
Os mestres de banda são, sem dúvida, referência de toda a consciência universal que a música brasileira contempla em sua multiculturalidade. Esses mestres devem ser considerados como um dos patrimônios da cultura brasileira por formarem uma imensa massa de profissionais de qualidade da nossa música.
  • Bibliografia: História e Música nas Filarmônicas, 2009, Prof. Dr Celso Benedito /UFBA

Um comentário:

  1. A tarefa de ensinar é uma tarefa profissional que exige amorosidade, criatividade, competência, seriedade, preparo intelectual, preparo físico, emocional e afetivo; é uma tarefa, antes de tudo, para vocacionados e requer de quem com ela se compromete um gosto especial de querer bem não só aos outros, mas ao próprio processo que ela implica; é uma tarefa onde também aprendemos muito e somos eternos aprendizes.

    É impossível ensinar sem essa coragem de querer bem, sem a valentia dos que insistem mil vezes antes de uma desistência. É impossível ensinar sem a capacidade bem cuidada de amar. É preciso ousar para ficar ou permanecer ensinando por longo tempo nas condições que conhecemos, quase sempre mal pagos, desrespeitados e resistindo ao risco de cair vencidos pelo cinismo. É preciso ousar para dizer não à desvalorização a que nos expomos diariamente; é preciso ousadia para continuar quando às vezes se pode deixar de fazê-la, com vantagens materiais.

    É militância, é sacerdocio... é mais que querer.

    Nossa admiração ao trabalho de todos os mestres

    Rocha Sousa

    ResponderExcluir