quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

O Cancioneiro Natalino Brasileiro

  • No Brasil os diferentes costumes que caracterizam as nossas festas natalinas refletem a grande diversidade cultural do nosso país. Assim como os rituais, decorações, vestimentas e comidas típicas, as músicas tradicionais que ouvimos e cantamos na época do natal são uma preciosa herança cultural.
Estas músicas têm origem, ao longo da história, nas tradições que influenciaram profundamente a cultura brasileira. As principais influências vêm das tradições européias, sobretudo dos países onde predomina o cristianismo. De lá herdamos para o nosso repertório natalino:

  • Noite Feliz (Alemanha, autoria de Franz Gruber e do austríaco Joseph Mohr),
  • O Tannenbaum (Alemanha, autoria desconhecida),
  • We Wish You a Merry Christmas (Inglaterra, autoria desconhecida),
  • The First Noel [Primeiro Natal] (Inglaterra, autoria desconhecida; provável origem na França medieval).
Mas o nosso repertório natalino abriu também espaço para as célebres canções norte-americanas que chegaram com o cinema e com os discos:


  • Jingle Bells / Bate o Sino (James Pierpoint),

  • White Christmas (Irving Berlin),

  • Let it Snow (Sammy Cahn e Jule Styne),

  • The Christmas Song (Mel Tormé and Bob Wells).
Foram estas músicas que influenciaram algumas das mais conhecidas canções populares brasileiras, que fizeram sucesso na voz dos cantores do rádio e permanecem até hoje em nosso repertório natalino.


  • Boas Festas (Assis Valente),

  • Natal das Crianças (Blecaute),

  • O Velhinho (Otávio Filho),

  • Feliz Natal (Armando Cavalcanti e Klécius Caldas), esta última mais conhecida como "Noite Azul".
Há ainda os costumes e músicas originais do nosso país, que hoje cultivamos como folclore. Entre os folguedos populares de natal no Brasil, destaca-se o Pastoril, cujas personagens típicas cantam, dançam e fazem declamações para representar a cena do nascimento do menino Jesus. Como exemplo, temos: O pastoril, tradicional do nordeste brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário