quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Concertos Pelo Sertão

  • O Projeto Concertos Pelo Sertão levou a Orquestra Sinfônica de Teresina (OST) para uma série de apresentações didáticas, seguidas de debates, em nove cidades do semiárido nordestino, envolvendo os estados do Piauí (Valença, Picos e São Raimundo Nonato), Ceará (Crato e Juazeiro do Norte), Bahia (Juazeiro da Bahia e Remanso) e Pernambuco (Salgueiro e Petrolina). Todas as apresentações foram gravadas em vídeo e fotografadas para a produção de documentário e a edição de um livro, como contribuição à memória do projeto.
A Orquestra Sinfônica de Teresina, composta por cerca de 70 músicos e musicistas (na maioria, jovens estudantes), funciona como uma grande oficina do aprendizado musical, desenvolvendo habilidades artísticas, descobrindo talentos, gerando emprego e renda e contribuindo com o desenvolvimento cultural, especialmente em Teresina, a capital do Piauí.

O projeto foi idealizado pelo músico, compositor e produtor piauiense Gilvan Santos (estudante de políticas públicas), com o objetivo de levar concertos sinfônicos para cidades do interior da região Nordeste, como já foi dito anteriormente. Tal pleito, apresentado para concorrer a um edital da Petrobras,teve, após aprovação, a programação executada no período de 12 a 20 de novembro de 2010.
  • O projeto Concertos Pelo Sertão, realizado pela Orquestra Sinfônica de Teresina, foi selecionado pelo Programa Petrobras Cultural 2008/2009, na Linha Produção e Difusão em Música, e categoria Circulação de concertos de Música Brasileira.
A ideia de implementar um projeto sobre a Orquestra Sinfônica de Teresina surgiu a partir de conversas entre o maestro Aurélio Melo e Gilvan Santos, no sentido de abrir caminhos para novas apresentações, e ganhou notoriedade quando Gilvan, admirador do trabalho desenvolvido pela orquestra, assistiu ao concerto realizado na Igreja de Nossa Senhora das Dores (Catedral de Teresina), na praça Saraiva.

  • A abertura do edital da Petrobras propiciou a que Gilvan Santos pudesse pleitear financiamento para a formalização de um circuito de execução de música erudita. Considerando o roteiro antes referido, das cidades inseridas no semiárido nordestino, daí o título "Concertos pelo Sertão".
Esse roteiro foi pensado a partir de dois pontos distintos, que poderiam se tocar: a necessidade de ampliar o espaço de conhecimento do trabalho realizado pela orquestra e a carência de contato do sertanejo com a música sinfônica,ausente das programações das emissoras de rádio e, distante, assim, da experiência popular.
  • Concertos pelo Sertão aconteceu de 12 a 20 de novembro de 2010, com realização, pela Orquestra Sinfônica de Teresina, de uma série de apresentações didáticas, seguidas de debates, em nove cidades do semi-árido nordestino, abarcando quatro estados:

Concertos Executados:
12 de novembro de 2010, às 20 horas
Valença – PI. Igreja Nossa Senhora do O. e Conceição
13 de novembro de 2010, às 20 horas
Picos – PI. Catedral Nossa Senhora dos Remédios.

14 de novembro de 2010, às 20:30 horas.
Juazeiro do Norte – CE. Basílica de Nossa Senhora das Dores

15 de novembro de 2010, às 20 horas
Crato – CE. Igreja Matriz

16 de novembro de 2010, às 20:30 horas
Salgueiro – PE. Igreja Matriz

17 de novembro de 2010, às 20 horas.
Petrolina – PE. Concha Acústica.

18 de novembro de 2010, às 20 horas.
Juazeiro – BA. Catedral de

19 de novembro de 2010, às 20 horas.
Remanso – BA. Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário.

20 de novembro de 2010, às 20 horas.
São Raimundo Nonato – PI. Igreja Matriz

  • Documentário: Concertos Pelo Sertão  
  • Texto e Informações: Abiel Bomfim

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Nossos Pop's Star


  • O "História & Música no Piauí" não poderia deixar de apresentar neste espaço alguns dos destaques das nossas produções fonograficas. Independente do juizo cada um possa fazer acerca dos mesmos mas o único critério que utilizamos para listá-los foi o reconhecimento popular que cada um alcançou e que pode facilmente ser medido pelos numeros vendas de seus discos. Eles fazem parte da história da nossa musica popular.
Roberto Miller, natural da cidade de Piracuruca, localizada no norte do Estado a 196Km da Capital Teresina. Nascido em 17.02.37, Miller iniciou a carreira astística em 1955, na rádio Timbiras de São Luís do Maranhão. Posteriormente migrou para o Rio de Janeiro e fez grandes sucessos, a nível nacional. Em seus shows sempre divulgava enaltecia o nome do Piauí. Gravou cerca de 50 LPs e 18 CDs.
  • Com seis discos de ouro tem entre seus grandes sucessos, dentre outros, as baladas românticas “Entre espumas”, “Numa mais brigarei contigo”, “Luz negra”, “velha moça” e “Farrado de calçado”.

O "mega-estar" Raimundo Soldado (Santa Inês, 1946 — Timon, 17 de setembro de 2001) foi um cantor e compositor brasileiro de música popular. Seu primeiro disco (Raimundo Soldado e o Conjunto Grupo de Ouro - Abraçando Você) alcançou relativo sucesso nos anos 80 com a faixa-título e também "Você gosta de mim" e "Não tem jeito que dê jeito".
  • Raimundo Teles Carvalho nasceu na cidade de Santa Inês, no Maranhão, em 1946. Tornou-se conhecido como Raimundo Soldado devido ter servido ao exército, a exemplo de seu pai e de seus irmãos. Inicialmente as suas músicas tinham temática romântica, com um estilo musical que assemelhava-se a uma junção do pop a estilos típicos dos estados do Maranhão e Pará, como o Carimbó.

Eloides "a ferinha" é maranhense radicada no estado do Piauí e fez sucesso em todo o norte e nordeste brasileiro no inicio da década de 80 com seu disco gravado pelo selo Sapucaia com a música "Vou Virar Uma Fera" e outras como "O Pinto Piou".
Antonio Cearense, o saxofonista nascido na cidade de José de Freitas é uma raridade dentro do mercado musical piauiense porque conseguiu fazer sucesso na década de 80 dentro do restrito mercado da música instrumental brasileira em um tempo que as coisas eram muito mais dificil.
  • Antonio Cearense merece o nosso respeito independente de sua técnica mas muito mais pela sua música que tem a alegria da alma brasileira. O seu sucesso "Madrugada Alegre" já foi regravado por vários artistas e faz parte do repertório dos bons saxofonista brasileiro.
Esta pesquisa continua aberta e aguarda a contribuição de outros colegas que possam aprimorá-la pelo bem da verdade e da nossa arte.
  • Antes gostaria de dizer que sei da existência de muitos outros colegas que gravaram seus discos mas como, estes, infelismente não utrapassaram as fronteiras do Parnaiba e das Serras Azuis que delimitam o nosso territorio piauiense.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Arranjadores Brasileiros: Severino Araújo


  • Aos 8 anos, o menino Severino Araújo era reconhecidamente um fenômeno. Filho do mestre de banda Cazuzinha, ele era tido como "ouvido absoluto", capaz de ajudar o pai a dar aulas para seus instrumentistas, tomando-lhe lições. Trocava qualquer brincadeira por música. Aos 12 anos, dominava vários instrumentos de sopro e já compunha; aos 16, esboçava os primeiros arranjos.
A história de Severino e da orquestra Tabajara, que viria a reger poucos anos depois - até 2005, os 88 anos, quando se afastou, dando lugar ao irmão, Jaime, saxofonista, de 85 - é contada em Orquestra Tabajara de Severino Araújo - A Vida Musical da Eterna Big Band Brasileira. O livro, de Carlos Coraúcci, está sendo lançado este mês pela Companhia Editora Nacional.
A Tabajara é a mais longeva orquestra de baile do Brasil - está em atividade desde 1933. Nasceu na Paraíba, terra de Severino e sua família, inspirada em big bands americanas. Em 1945, veio para o Rio para brilhar nas rádios e nos salões de baile da então capital.
  • Gravou mais de cem discos, acompanhou os principais artistas brasileiros (Tom Jobim, Chico Buarque, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Tim Maia), fomentou talentos de muitos músicos (o clarinetista Paulo Moura integrou seus quadros), apresentou-se para presidentes da República (Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek), pôs gerações de pés de valsa para dançar juntinho - Coraúcci estima que mais de 20 milhões de pessoas já tenham visto/ouvido suas apresentações, de Manaus a Porto Alegre, sem contar com as viagens ao exterior.
O autor entrevistou mais de cem pessoas e se apoiou na boa memória de Severino e de seus irmãos, Jaime e Plínio, de 88 anos, baterista, e de outros músicos. Eles lembraram histórias deliciosas sobre grandes festas - dos 70 anos do escritor Ziraldo ao casamento do cantor Lobão. E também sobre a convivência com crooners célebres, como Elizeth Cardoso e Jamelão.
Os 21 músicos da Tabajara - a maior parte, veteranos de cerca de 70 anos - seguem na ativa, embalando aniversários, formaturas e festas de réveillon, a cerca de R$ 10 mil por noite. A demanda já chegou a 30 por mês, mas hoje são dez. Jaime não reclama. "Tem bandas por aí que fazem mais barato, mas elas não são a Tabajara..."
  • Severino sempre adaptou os sucessos do momento para a sonoridade da orquestra. O problema é que guarda todos os arranjos na cabeça, o que agora dificulta um pouco para o irmão... "Ele nunca foi um purista", diz Coraúcci. "Tornou-se uma referência em todo o País, eu comprovei."

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

No Tempo de "Seu Gosto Na Berlinda"

  • Seu Gosto na Berlinda era um programa de radio que existiu na radio Pioneira de Teresina no tempo que os clubes sociais eram os responsáveis pela realização das grandes festas dançantes na cidade de Teresina e toda região do Estdo do Piauí e Maranhão. Festas estas, animadas por muitos conjuntos musicais que divertiam a juventude de então e as famílias que com muita elegância freqüentavam estas festas que aconteciam durante os festejos de cada comunidade.
A realidade que vivíamos há trinta anos atrás no mercado de entretenimento cultural da cidade de Teresina era muito diferente dos dias de hoje. Nossas festas eram chamadas de “tertúlias”, e os grupos musicais de “conjuntos” (hoje são “bandas”). Os “Bem Bens” da Paraíba e os “Milionários”, tinha os Cartolos e os Geniais que eram grandes conjuntos musicais de bailes recordista de público e referencia em nosso estado sendo muito respeitados por toda região nordestino pela qualidade musical que apresentavam.
Para se ter uma idéia, há trinta anos, aqui no estado do Piauí o sinal da televisão não era captada nos municípios interioranos como hoje é. Vivíamos naquele momento uma realidade sócio-política e cultural um pouco diferente da que vivemos hoje. Era uma época que o radio tinha uma importância cultural muito grande em todo o Brasil.
  • É nesse contexto que a radio Pioneira de Teresina matinha o programa semanal "Seu Gosto na Berlinda" que era uma verdadeira revista cultural, informativa e musical apresentado pelo radialista Roque Moreira sempre das 14 às 15 hrs. Era um programa lider de audiência que tinha como foco principal divulgar as festas que eram programadas pelos clubes sociais das diversas localidades dos Estados do Piauí e Maranhão.
Só para relembrar: veja abaixo a relacão dos principais conjuntos musicais que fizeram história em nosso estado naquela época.
  • Sambrasa, conjunto composto por alguns músicos do extinto Barbosa e acrescido de outros que estavam vindo do Ceará. A primeira formação do Sambrasa foi com: Edmilson Morais (bateria), Zezinho Ferreira (baixo). Colombo (guitarra), Antonio Simplício (acordeon), Linhares (sax), Bossa (piston) e Vicente (cantor). O sucesso do Sambrasa foi o mesmo, culminando na gravação de um LP nos estúdios da Orgacine, em Fortaleza.
PS: Escrevi esse post para falar um pouco da história dos conjuntos de bailes mais famosos que atauvam no estado do Piaui durante a década de 70 e 80 do Sec. XX. Para tanto focamos como referência o programa do Roque Moreira da radio Pioneira de Teresina que era onde sabiamos onde cada um desses conjuntos tocariam.
Infelismente mesmo tendo vivido um pouco desta época conheço pouco a história de cada um desses conjuntos, como: Brasa Sete, Os Cartolas, Os Geniais de Amarante, Os Metralhas, Embalo Jovem, Impacto Musical, Estrela do Norte, Os Drgões, Alta Tensão, Disparo 2000, Hermogens Som Pop, Os Seis Maranhenses, Os Bembens da Paraiba, Nonato e Seu Conjunto e tantos outros, mas ainda me falta informações mais segura e portanto estarei procurando alguns colegas que conhecem melhor essa história para colaborar com seu resgate.
  • Continuaremos posteriomente quando nossa pesquisa reunir mais dados sobre os conjuntos musicais que fizeram história em nossa região. A seguir veja alguns resgates de videos publicados no Youtube de gravações desta época.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Dona Leonides: A voz Lírica de Teresina

  • Leonides Donizete Lima Carvalho - Soprano lírica, reconhecida nacionalmente através de premiação do Concurso Banco Real Talentos da Maturidade, em Curitiba, no Ano de 2006. Entre mais de dez mil inscritos, ela ficou entre as cinco melhores vozes do Brasil. Na década de 60, em São Paulo, ficou em segundo lugar no concurso A Voz de Ouro ABC do Brasil.
Cantora lírica de Teresina, dona Leó, como é mais conhecida, é uma das preciosidades que encanta a todos com a voz e um repertório de bom gosto, que inclui clássicos da música mundial e também a música popular brasileira.

  • Atuou no famoso Coral da Igreja Nossa Senhora do Amparo sob a direção da maestrina Maion Couto.


Participou como solista acompanhado do Coral da Igreja do Amparo e da Banda dos Fuzileiros Navais do Rio de Janeiro no I Congresso Eucaristico realizado na cidade de Teresina de 1960.
  • O História & Música no Piauí esteve conversando com Dona Leó e colheu muitas informações sobre a história da nossa música. Confira no video a entrevista com Dona Leó.