domingo, 24 de abril de 2011

Osnir Veríssimo: Compositor e Músico

  • Osnir Veríssimo de Sousa nasceu no dia 27 de agosto de 1963, na cidade de Teresina, capital do Piauí, estado da região Nordeste do Brasil. Compositor e músico autodidata teve seus primeiros contatos com o mundo da música ainda na infância.
Aos doze anos, começou a fazer paródias para políticos. A cantora Rosinha Freire, integrante da banda BEC Boy, foi uma das referências na formação e crescimento musical de Osnir Veríssimo. Na época, os programas de auditório, nas rádios Pioneira e Difusora, estavam no auge e Osnir sempre esteve junto da cantora, como o seu amuleto.

Posteriormente, Rosinha Freire foi contratada pelo empresário Sargentelli, de expressão nacional. Nos anos 74/75, Osnir Veríssimo ingressou no GASC - Grupo de Adolescentes Soldados de Cristo, do bairro Vila Operária, período que avivou o aspecto musical do jovem artista, com a presença da música religiosa em sua trajetória artística.

Em agosto de 1979, Osnir Veríssimo conheceu o músico e compositor Gilvan Santos, que lhe ensinou os primeiros acordes de violão. No ano de 1980, Gilvan, Osnir, Antonio Carlos (hoje palhaço Pancinha), Assunção e Oscar Briozo formaram o Grupo Musical Desafio, com o objetivo de protestar contra o sistema político da época. Fizeram o Show Litero Musical “VIOLA E CHINELO”, em que cantavam músicas de protesto, satirizando aspectos da realidade local e envolvendo o público com palavras de ordem.

Nesse ano, em que o papa João Paulo II visitou o Piauí, chegando ao Aeroporto de Teresina, deparou-se com uma faixa que, no meio da multidão, dizia: "SANTO PADRE O POVO PASSA FOME", o que gerou grande rebuliço, com o governador Lucídio Portela mandando a policia federal prender os manifestantes Antonio Carlos, Beto e Oscar Briozo. O manifesto repercutiu internacionalmente: semanas depois, a revista TIME divulgou o fato ocorrido.

"No ano seguinte, Osnir, Gilvan, Titá, Ral e Antonio Carlos montaram novo grupo, “REBUSCADA”. O grupo durou poucos meses. Com o fim do Rebuscada, Osnir foi convidado para ingressar como guitarrista no GRUPO SOM TROPICAL, que tinha linguagem pop e romântica. No inicio do ano de 1982, o Grupo de Teatro Pesquisa (GRUTEPE), convidou o GRUPO MUSICAL SOM TROPICAL para participar do musical infantil do carioca João das Neves, intitulado “A LENDA DO VALE DA LUA”.
  • A trilha musical foi dividida entre os compositores Osnir Veríssimo e Aurélio Melo. Com o sucesso da peça A LENDA DO VALE DA LUA a nível local, Osnir foi convidado pelo Grupo de Teatro Raízes para musicar o espetáculo “MIRIDAN”, do teatrólogo piauiense Aci Campelo.
Osnir compôs, em parceria com Antony Emmerson (Boy), a trilha musical do espetáculo Miridan". Depois, fez a trilha sonora da peça infantil “PASSARINHO DE GAIOLA” e “NAS PEGADAS DE MEU BUMBA” de Ací Campelo e Raimundo (Fuçura) Dias.

Em Teresina, Osnir se apresentou ao lado de: Geraldo Brito, Janete Dias, Solange Leal, Márcia Martin, Marcos de Carvalho, Rosalvo, Jabuti Fonteles, Valdick Soriano, Tânia Fonteles, Tony Costa, João Ângelo, Laurenice França, Vançan, Peinha do Cavaco, João Luiz Bezerra, Chicão, Zemarques, Dalmir Gomes, Fátima Lima, Anderson Nóbrega, Bebeto, Rosinha Amorim, Luiza Miranda, Luizinho de Aracaju, Johnie Casanova, Teddy Arrais, Assis Bezerra, Vavá Ribeiro, João Ângelo, Di Mota, Terra Francisco e outros.

  • Compôs e interpretou a música POÇO FUNDO da Comédia AI QUE VIDA, de Cícero Filho.

Tocou contrabaixo, guitarra e violão na noite teresinense até o ano 1999 e abriu os shows ONDAS E LOMBRAS, do maranhense Jorge Tadeu; ONZE FITAS, de Fátima Guedes, além dos Show(s) de Ângela Ro Ro, Papete, Maria Alcina e também Moreira da Silva.

O compositor Osnir Veríssimo é, além de músico, ator e publicitário. "Ele teve sua primeira música gravada no LP Teresina Canta Theresina em 1993. Osnir Veríssimo está na estrada há 30 anos e produziu shows e Cd´s de artistas piauienses, maranhenses e cearenses". O músico e Compositor Osnir Veríssimo têm cinco Cd’s gravados: Batucada (1999), Mutação (2000), Pavio Curto (2007), Pras Teresas e Cristinas (2008) e Passeata de Marmotas (2010).

  • Obs: O CD Passeata de Marmotas em parceria com o ator, cantor e compositor FÁBIO COSTA, conta e canta dez lendas piauienses e tem como base o livro PASSARELA DE MARMOTAS do escritor piauiense FONTES IBIAPINA.

Fonte: Wikipédia

sábado, 23 de abril de 2011

Songbook: "Music of Piauí"


  • Um dos principais desafios da educação musical no Piauí é ampliar a literatura sobre a música da nossa região e difundi-la entre os nossos músicos. A internet poderia ser uma ferramenta poderosa para essa finalidade, infelizmente, até agora em nossa região, poucos a tem utilizado para esse fim.
Essa pode parecer uma preocupação boba, mas já faz algum tempo que estamos formando músicos sem lhes dar o direito de ter acesso a um material gráfico com canções que façam parte do seu convívio. O resultado disso é uma geração de músicos que ignoram um rico acervo de obras da nossa região construído por vários compositores ao longo de anos.


Pensando em contribuir para diminuição dessa lacuna em nossa literatura musical, tomamos a iniciativa de organizar um cancioneiro estilo “songbook” (partituras, cifras e letras), com as obras mais representativas da música popular e folclórica da nossa região.


Esse material, ainda em fase de preparação, não visa obter fins lucrativo e será voltado principalmente para atender aos novos músicos e todos que desejam executar nossas obras musicais e não tem uma referencia para pesquisa.

  • O songbook será intitulado "Music of Piauí" e será colocado para downloard gratuito na internet em formato PDF.
Relação das músicas que estamos pesquisando as melodias para compor o songbook:
  • “O Peru Rodou” de Maria da Inglaterra;
  • “Morena” de Naeno;
  • “Cabeça de Cuia” de Pedro Silva;
  • “De Teresina a São Luiz” de João do Vale;
  • “Vagalume” de José Eduardo Pereira;
  • “Teresina” de Aurélio Melo e José Rodrigues;
  • “Cajuína” de Caetano Veloso;
  • “Milionário” de José Bispo;
  • “Baião da Saudade” de Luiz Santos;
  • Raízes” de Netinho Toni;
  • “Rio Parnaíba” de Magno Aurélio e Peinha do Cavaco;
  • “Calmaria” de Vavá Ribeiro;
  • “Um Violeiro, Uma Viola, Um Luar” de Cruz Neto;
  • “From United States of Piauí” de Gonzaguinha;
  • “Modinha Pra Teresina” de Paulo Mendes;
  • “Mania” de Odorico Carvalho;
  • “Laço de Fita” (folclore).
Se alguem tiver alguma sugestão, estamos aberto.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Silêncio Nas Palavras

  • Dizem que uma foto vale por mil palavras. Nesse post publicamos algumas fotografias históricas que mostram nossos artistas e alguns grupos que marcaram época em importantes momentos da nossa música.

Grupo Artes Tupiniquim, apresentando-se no Teatro de Arena no inicio dos anos 90. Alguns dos componentes que conseguimos idetificar: Zé Rodrigues [flauta], Wilker Marques [clarinete], Nidia Monteiro [Celo], Luciano Santos [Violão].

Aqui, ao centro, idetificamos o cantor Roraima que pela foto não mudou muito nos ultimos anos. Os outros componentes da banda não consigo identificar.

Teatro de Arena em foto nos anos 90, o templo das artes mais democrático da cidade de Teresina.

Grupo Candêia, um dos grupos que marcou história na música piauiense e que infelismente não existem mais. Aqui o grupo foi fotogrado durante um ensaio nos anos 80. Dos componetes que idetificamos: Aurélio Melo [violão], Paulo Aquino [contrabaixo], Nonato Monte [Bateria].

Desta foto eu consigo identificar o cara do centro: é o músicio e compositor Rubenir Miranda.


Aqui a banda de música da Policia Militar do Piauí regida pelo maestro Sebastião Simplicio em 1952.

O velho GB, em pose nos anos 70 (acredito). Geraldo Brito é um dos nossos mais importantes músicos brasileiro (não confundir importância com popularidade), aqui no Piauí. Sua trajetória como músico e compositor carrega uma grande bagagem musical através de sua vivência no iê iê iê, nos festivais anos 70/80, na música regional, na mpb e no jazz. Um dos mais completos Guitar da nossa música.

Esse ai é Edivaldo Nascimento, digno representante do nosso rock, aqui em foto pra lá dos anos 80.


Um encontro histórico: Juntas, lá atrás, as professoras Glinia Daniel e Nidia Monteiro. Ambas, dirigindo um turma de musicalização na Escola de Música de Teresina no final dos anos 80.

  • Em recital nos anos 80: José Nunes [Flauta], Nidia Monteiro [Cello], Verônica Lapa [Piano], e Maristela Gruber [in voice].

domingo, 3 de abril de 2011

Clodo, Climério e Clésio: Os Irmãos Piauienses

  • Os versos de ´Revelação´, música dos irmãos piauienses Clôdo e Clésio, foram ao ar no Fantástico, em uma noite de 1978, como trilha de um clipe produzido para a canção interpretada pelo cearense Raimundo Fagner. A canção ficou entre as músicas mais tocadas nas emissoras de rádio de todo o país nos dois anos seguintes.
"Revelação" é apenas a música que os revelou como compositores e interprete para o grande público, no entanto, desde dos anos 60 que os irmãos já estavam na luta em busca de um espaço como artista.

Antes de "Revelação" em 1976 eles já haviam experimentado o sucesso nacional com a música “Enquanto engomo a calça” uma composição de Ednardo com Climério.

  • O primeiro disco de Clodo, Climério e Clésio veio em 1976, a convite do cantor cearense Ednardo com que mantinham parceria. Assim nasceu “São Piauí” o primeiro disco do trio.

  • O segundo disco,Chapada do Corisco, foi produzido por Fagner. Dominguinhos produziu o terceiro disco,Ferreira”. Os outros três discos foram gravados em Brasilia e lançados de forma independente.

Clodomir, Climério e Clésio Ferreira são irmãos e nasceram no Piauí. Radicados em Brasília desde 1960, são compositores fundamentais na MPB. Clodo é um dos responsáveis pelo sucesso popular de Raimundo Fagner. É dele a canção “Revelação” que colocou Fagner nas paradas de sucesso e o consagrou junto ao grande público.

Nara Leão compôs apenas uma música em sua vida , em parceria com Fagner e Fausto Nilo e essa música se chamou “Cli-Clé-Clô” em homenagens aos 3 irmãos compositores. A canção foi gravado por Nara em seu LP “Romance Popular” de 1981.
Clésio Ferreira faleceu em 07/07/2010 em Brasilia.

Depois da era do vinil, Clodo Ferreira e Climério continuaram em carreiras solo e gravaram alguns CDs. Clodo é o que mantém sua carreira artística mais ativa, realizando apresentações mais constantes em Brasília.

  • Os irmãos Ferreira levaram o Piauí para Brasilia. E eles ficaram conhecidos lá com essa temática. Que não era uma temática exclusivamente piauiense, era uma temática universal, porque eles também entraram nessa temática. Eles faziam versos, aparentemente, despretensiosos, mas. concisos, simples e profundos. Climério afirma que existe uma espécie de sotaque do Piauí nas músicas deles. Eles também tinham influências das músicas românticas e da música nordestina, como um todo.
  • Clodo, Climério e Clésio lançaram seis LPs, em vinil, por gravadoras e produções independentes. Tiro Certeiro é o primeiro CD destes compositores, que tem mais de 150 músicas gravadas por intérpretes como Nara leão, Fagner, Dominguinhos, Tim Maia e Os Cariocas, Simone, MPB-4, Elba Ramalho, Ednardo, Amelinha, Zizi Possi, Fafá de Belém, Marlui Miranda, Ângela Maria e outros.